quinta-feira, 1 de agosto de 2013

ALIMENTAÇÃO

Faz um tempinho já que queria falar aqui sobre alimentação. Quem conhece minha história sabe que eu não fazia parte de nenhum grupo de risco, não tinha precedentes na família nem indicadores que teria ca de mama. Mas, entre as causas do ca de mama, está a obesidade. E daí vem toda minha preocupação com alimentação. Nunca fui magrinha, mas nunca me considerei obesa, era normal, até tinha um corpo legal . E acreditava que tinha uma alimentação saudável, já que sempre gostei de frutas, saladas, sempre procurei comer coisas saudáveis, aveia, chás e etc... Porém sempre fui apaixonada por Mc Donalds, coca-cola, pastel e todo tipo de fritura. Na minha casa, até hj nunca falta carne vermelha, coisas fritas, doces e pães. E sempre foi um hábito beliscar o que tinha à mesa, pois o que os olhos vêem o estômago pede. Sempre comi pouco (em quantidade), meu noivo até me chamava de passarinho, mas em qualidade, nunca achei que fosse tão ruim. Mas era!!!! Não sei se todos sabem, mas o peso na balança não é o único indicativo de que estamos gordos, ou até obesos. Pessoas aparentemente magras, visualmente magras, podem esconder uma alta taxa de gordura corporal, indicando obesidade. São os falsos magros. E tudo por conta da alimentação! Na correria do dia-a-dia, eu como tantas outras pessoas acabava sempre almoçando um salgado, um Mc, um Habbibs ou algo do tipo. Aos fds sempre pizza, mais lanche, churrasco e muito refri e cerveja. Nunca fui muito de doce, mas subo nas paredes no pré-menstrual por um chocolate e como em casa nunca falta, as vezes mesmo fora desse período eu comia. Cheguei, com "ajuda" dos medicamentos a ter 41% de gordura. Imaginem, quase metade de mim era gordura!!! Hoje estou com 36%, o que é muito ainda! Mas estou me esforçando para melhorar. Lendo muito a respeito de alimentação saudável, fazendo exercícios físicos, modificando hábitos. Atualmente muitos alimentos que consumimos são industrializados, processados ou modificados como se isso não interferisse em quem os consome, só que interfere. A ração cheia de hormônios dada ao frango, à vaca, ao porco ou o agrotôxico colocado nas verduras, legumes e frutas vão chegar à nossa mesa. Sem falar nas gorduras trans dos alimentos industrializados. Ou ainda substâncias que nem imaginamos num refrigerante. Claro, que vc pode pensar, como eu já pensei: "Vou viver de quê então?". E realmente eliminar todas essas influências do nosso dia-a-dia não é nada fácil. Mas podemos diminuir os riscos. Hoje reduzi a quase zero o consumo de refrigerante (ainda estou lutando para chegar no zero), não como carne vermelha todo dia. E acima de tudo evito fast-food o máximo que posso. Já consegui ficar mais de 2 meses sem Mc (muita coisa pra quem comia toda semana sem falta). É uma luta que ainda estou travando. E aprendi a pensar antes de comer (com o livro "Pense Magro"). Penso antes de comer se realmente estou com fome, se realmente aquilo que comerei fará diferença no meu dia ou se consigo ficar sem e se vale a pena adiar meu emagrecimento e a baixa da taxa de gordura por aquela gordice!!rs Não tem mágica, é conscientização e força de vontade! É um processo! Pra mim não adianta vc decidir de um dia pro outro que ficará, sei lá, um mês sem comer chocolate. Vc acaba comendo e pior, sentindo-se frustrada e não feliz. Mas se quer comer chocolate, prefira o amargo, coma só um pedacinho, procure o sem açúcar, faça escolhas inteligentes!!! E se vc sabe que tem uma festa, um jantar ou algum evento que lhe trará tentações, compense antes. Coma menos antes, invista em salada....e fique tranquila no momento que precisar enfrentar as tentações. Use sua inteligência e INVISTA EM VOCÊ!!! E VIVA, PORQUE A VIDA É BONITA, É BONITA E É BONITA!!!